5 Sintomas de leucemia que não devemos ignorar

​Os sintomas e sinais de leucemia geralmente incluem cansaço excessivo e ínguas no pescoço e virilha. Porém os sintomas de leucemia podem variar ligeiramente, de acordo com a evolução da doença e do tipo de células afetadas, além da idade do paciente.

Por isso, muitas vezes os primeiros sintomas podem ser confundidos com uma simples gripe ou resfriado, especialmente quando começam de forma repentina. Assim, se acha que pode estar com leucemia, escolha os seus sintomas, para saber qual o seu risco de ter a doença:

  1. Febre acima de 38º C;
  2. Dor nos ossos ou articulações;
  3. Manchas roxas ou pontinhos vermelhos na pele;
  4. Cansaço frequente sem razão aparente;
  5. Ínguas no pescoço, axilas ou virilha;
  6. Perda de peso sem razão aparente;
  7. Infecções frequentes, como candidíase ou infecção urinária.

​​Embora existam dois tipos principais de leucemia, os sintomas são sempre os mesmos, sendo que a principal diferença está na progressão dos sintomas.

Sintomas de leucemia infantil:

Os sintomas nas crianças podem se manifestar em qualquer fase. Neste caso o bebê ou a criança podem parecer sempre cansados, não tendo vontade de engatinhar ou andar, e ter tendência para ficar com marcas roxas na pele facilmente.

Apesar de assustar os pais, a leucemia nas crianças tem boas chances de cura quando o tratamento é feito adequadamente, por isso é sempre importante consultar imediatamente o pediatra sempre que existam alterações no comportamento da criança.

Como fazer o diagnóstico:

É importante que o diagnóstico da leucemia seja feito precocemente para evitar a progressão da doença e melhorar a qualidade de vida do paciente, sendo recomendado que as pessoas que possuem sinais e sintomas sugestivos de leucemia sejam submetidas a diversos exames.

O principal exame para diagnosticar a leucemia é o hemograma, em que é verificada alteração na quantidade de leucócitos acompanhada ou não da diminuição da quantidade de hemácias e plaquetas. Através da análise microscópica do sangue, é possível também verificar alterações nos leucócitos indicativas de alteração no funcionamento da medula óssea.

Além do hemograma, o médico pode solicitar exames bioquímicos e coagulograma para investigação da leucemia. A confirmação do diagnóstico é normalmente feita através do mielograma, em que é feita a coleta da medula óssea e enviada para o laboratório para avaliação e confirmação do diagnóstico.

Como é feito o tratamento:

O tratamento deve ser iniciado o quanto antes para aumentar as chances de cura e pode variar de acordo com o tipo de leucemia. Nos casos das leucemias agudas, normalmente é recomendada a quimioterapia, enquanto que nas crônicas pode ser indicado o uso de medicamentos específicos.

Independente do tipo de leucemia, de acordo com a gravidade e estágio da doença, o médico pode recomendar a realização de imunoterapia e transplante de medula óssea.